search 2013 adfgs
05/02/2014

Médica do programa “Mais Cubanos” cai na real e foge

Da Folha de São Paulo:

Cubana abandona Mais Médicos e se refugia no Congresso
Profissional que trabalhava no Pará pelo programa federal diz que vai pedir asilo ao governo brasileiro

medicaUma médica cubana integrante do Mais Médicos anunciou ontem que vai pedir asilo político ao governo brasileiro depois de ter abandonado seu posto de trabalho no interior do Pará.

Apresentada no plenário da Câmara dos Deputados por líderes do DEM, da oposição, Ramona Matos Rodriguez, 51, permanecerá refugiada na liderança do partido no Congresso aguardando uma decisão do governo. Ela afirmou estar sendo “perseguida pela Polícia Federal”.

Clínica-geral, Ramona chegou ao país em outubro e atuava na cidade de Pacajá. Ela diz ter decidido deixar o Mais Médicos após descobrir que o valor de R$ 10 mil pago pelo governo brasileiro a outros médicos estrangeiros era muito superior ao que ela recebia pelos serviços.

Segundo a médica, ela ganhava por mês US$ 400 para viver no Brasil. Outros US$ 600 seriam depositados em uma conta em Cuba, que só poderiam ser movimentados no retorno para a ilha.

“Eu até achei o salário bom, mas não sabia que o custo de vida aqui no Brasil seria tão alto”, afirmou.

A cubana diz ainda ter sido enganada sobre a possibilidade de trazer seus familiares ao país. A médica disse ter deixado o Pará no sábado com destino a Brasília, mas não contou como chegou à capital federal nem como fez contato com os deputados.

Ela afirmou, porém, que decidiu procurar o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) depois de ligar para uma amiga no interior do Pará e saber que a Polícia Federal tinha sido acionada para localizá-la –agentes teriam procurado seus conhecidos na cidade.

Uma das principais vitrines eleitorais da presidente Dilma Rousseff (PT), o Mais Médicos tem o objetivo de aumentar a presença desses profissionais no interior do país e nas periferias. Para isso, permite a atuação de médicos sem diploma revalidado em território nacional.

Atualmente, cerca de 7.400 médicos cubanos estão selecionados para atuar no país. A contratação é mediada pela Opas (Organização Pan-Americana de Saúde), que recebe os recursos do governo brasileiro e os transfere para Cuba mensalmente. Além de R$ 10 mil por médico, também há o pagamento de outros gastos a Opas, incluindo taxa de administração.

“Eu penso que fui enganada por Cuba”, afirmou Ramona ao comentar a disparidade nos pagamentos.

Abrigo

Caiado afirmou que a liderança do DEM na Câmara será “a embaixada da liberdade” para os médicos cubanos. Ele afirmou que sua assessoria prepara para amanhã o pedido de asilo da médica ao governo brasileiro e que irá conversar com o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça).

Os oposicionistas disseram que vão arrumar um colchão e as condições necessárias para que ela fique no local.

O presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), disse que não vai interferir no caso porque a liderança é um espaço de cada partido.

O Ministério da Saúde informou ontem que não comentaria o caso.

05/02/2014

Quando a esmola é grande…

Da Folha de São Paulo:

Delúbio é uma potência
Fernando Rodrigues

BRASÍLIA – Delúbio Soares é uma potência. Conseguiu mais apoio financeiro na internet do que Dilma Rousseff e Marina Silva juntas.

O ex-tesoureiro do PT, agora cumprindo pena após ter sido condenado no mensalão, lançou uma campanha on-line para pagar sua multa de R$ 466.888,90. Abriu um site na internet e entesourou R$ 1.013.657,26. Num dia apenas entraram cerca de R$ 600 mil na conta delubiana.

Trata-se de um fenômeno novo na política brasileira. Em 2010, Dilma Rousseff elegeu-se presidente e não chegou nem perto disso. Com o apoio de Luiz Inácio Lula da Silva e a tecnologia comprada da equipe digital de Barack Obama, a petista recebeu 2.032 doações via web, totalizando R$ 180 mil.

Também em 2010, a sonhática Marina Silva, uma avalanche nas redes sociais, conseguiu pífias 3.095 doações na internet. Arrecadou R$ 171 mil nessa plataforma.

O tucano José Serra nem tentou pedir dinheiro na internet há quatro anos. Somados os valores obtidos via web por Dilma e Marina, chega-se a R$ 351 mil. Ou seja, mesmo juntas elas receberam durante toda a campanha presidencial de 2010 menos da metade do que Delúbio Soares ganhou em poucas semanas.

Ontem, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes disse enxergar “algo muito estranho” nessas doações a jato para mensaleiros condenados. Além de Delúbio, outro sucesso arrecadatório foi José Genoino, que pagou com folga sua multa de R$ 667.513,92.

Estranho ou não, quem vai esclarecer é a Receita Federal — mas só em 2015, quando o Leão analisará as declarações de Imposto de Renda de todos os contribuintes brasileiros sobre o ano-base 2014.

É fácil acelerar o processo. Basta o Ministério Público requerer detalhes sobre todos os doadores e de onde saiu o dinheiro de cada um. Seria útil o Brasil conhecer como funciona esse fascinante novo fenômeno de benemerência na política.

 

31/01/2014

Insubordinação + Incompetência = Caos

Do portal de Veja:

PMs insubordinados e governo omisso fazem violência crescer no DF

Policiais se queixam de promessas descumpridas e fazem Operação Tartaruga; homicídios cresceram 40% em janeiro deste ano

A capital federal do país está com medo. Enquanto policiais militares fazem corpo mole no combate à criminalidade e o governo se demonstra incapaz de reagir adequadamente ao problema, a violência cresce dentro e fora do Plano Piloto: o número de homicídios cresceu 40% em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado. Foram 75 mortes.

Na noite de quarta-feira, um rapaz de 29 anos foi morto durante um assalto quando chegava ao prédio onde morava em Águas Claras, bairro de classe média. A audácia dos criminosos, que atiraram no pescoço do jovem quando ele tentou correr, aumentou a sensação de insegurança na população.

Parte do problema se explica pela postura dos policiais militares: desde dezembro, vem crescendo o número de adesões à chamada Operação Tartaruga. Como não podem simplesmente cruzar os braços, os militares atrasam o atendimento a ocorrências e se recusam a intervir em alguns casos. As alas mais radicais chegam a comemorar o aumento da criminalidade como forma de colocar o governo contra a parede.

Reivindicações

Os policiais militares da capital federal têm à disposição uma estrutura bem melhor do que a média nacional e recebem o maior salário do país: a partir de março, o valor inicial para soldados após o curso de formação será de 4.700 reais. Mas os PMs se queixam porque, comparados com o que recebem os policiais civis e os agentes do Detran no Distrito Federal, os vencimentos dos militares é significativamente inferior.

Além disso, os PMs afirmam que o governador Agnelo Queiroz (PT) não cumpriu promessas feitas durante a campanha eleitoral, como a reestruturação do plano de carreira e o aumento salarial igual ao reajuste anual do Fundo Constitucional – que o governo do Distrito Federal recebe como uma espécie de compensação por abrigar a capital do país.

Também há motivações políticas na tropa: alguns dos líderes do movimento teriam motivações eleitorais. O blog do tenente da reserva Jorge Martins, muito influente dentro da corporação, divulga as atividades do deputado federal Izalci (PSDB), que pretende disputar o governo do Distrito Federal.

Nesta sexta-feira, o governador Agnelo Queiroz se reuniu com a cúpula da segurança pública do Distrito Federal para planejar ações em resposta à onda de violência. Resultado: nada além de discursos enfáticos contra a conduta dos líderes do movimento. Vai ser preciso mais do que isso para retomar a sensação de segurança de uma população perdida entre a irresponsabilidade dos agitadores e a omissão do governo.

 

22/01/2014

Pra frente, Brasil!

19/01/2014

Rolezinho das antigas

Música e vídeo são de 1999. Clique AQUI para ver a letra e a tradução: